Resenha - As Brumas de Avalon: A Senhora da Magia (Livro 1)

As Brumas de Avalon: A Senhora da Magia (Livro 1) - Marion Zimmer Bradley
Editora: Imago
Páginas: 248



As Brumas de Avalon é um clássico literário quando o assunto é lenda arturiana. Sob ao ponto de vista das mulheres que tiveram importância na vida de Artur Pendragon, a autora conta a história de uma forma nova, não se prendendo ao campo de batalha, mas mostrando o que aconteciam nos bastidores das famílias reais e da ilha de Avalon, seguindo os olhos das mulheres que participaram dessa história. 

O primeiro livro é o início de tudo. Percorre o momento que Igraine descobre que terá que dar a luz ao próximo Grande Rei que tentará unir as religiões, até a coroação de Artur e a saída de Morgana, sua meia irmã, da ilha de Avalon.

Eu sou apaixonada pela lenda de Artur e já devo ter lido/assistido inúmeras obras sobre o assunto. Porém, me decepcionei um pouco quando comecei a ler essa série. 

Primeiramente, porque o primeiro ponto de vista é de Igraine, que passa sua vida trancada em casa cuidando da filha Morgana e da irmã Morgause e quando sai, é apenas para conhecer Uther. Não há tanta ação como em outras obras sobre a lenda e o início foi penoso.

Segundo, eu passei a odiar a personagem que mais adorava na lenda, Viviane (Nimue). Tá, eu sei que a personagem de Viviane é sempre a manipuladora e bla bla bla, mas nesse livro eu me senti incomodada de fato com o comportamento dela.

O livro mostra, além da invasão saxã, a guerra entre as duas religiões: a de Avalon e a Cristã (que conseguira muitos adeptos depois da invasão romana). Ambas as religiões são importantes na obra e notamos por meio das personagens a diferença que cada uma exerce sobre seus seguidores. A religião Cristã é vista pelo povo de Avalon como algo limitador, que apenas acredita em um deus morto e que vê a mulher como pecadora. Já a de Avalon, aparentemente é mais aberta, onde eles aceitam que a Deusa e o Deus recebam vários nomes e as mulheres são respeitadas e vista como sábias, já que é a Deusa a figura mais importante.

A obra tem uma forte temática feminista, e talvez isso incomode alguns leitores. Não que as mulheres queiram dominar tudo (como muitas pessoas pensam que é assim o feminismo), mas elas ficam quase em pé de igualdade (quase porque para os que acreditam na religião Cristã elas ainda são inferiores) e possuem papel muito importante em todos os acontecimentos. É bastante interessante ver como cada uma das personagens principais influencia os homens da história, que ficam quase que totalmente em segundo plano (até meu querido Merlin, que aparece muito pouco e nem é lá essas coisas). 

Porém, a Deusa de Avalon se mostra uma figura manipuladora e um tanto quanto cruel. Viviane é a Grande Sacerdotisa que serve de instrumento para a deusa e passa a história manipulando todos a sua volta, dizendo ser aquele o desejo da deusa. No final, as duas religiões ficam como "ruins", nenhuma melhor do que a outra. 

A história é narrada em um ritmo bem lento. Ás vezes a escrita parece não fluir, mas na verdade são os acontecimentos que não saem do lugar mesmo. Para quem espera guerras, sangue, cabeças decepadas, gente morrendo, sexo (isso tem), e coisas assim, o livro deixa um pouco a desejar. Muitos irão dizer que é voltado para o público feminino, o que de fato é, mas não achei que seja algo "ruim" por causa disso, já que muitos assuntos que são ditos como "femininos" não aparecem tanto. Claro que existem as inseguranças pelas quais todas as mulheres passam, mas isso está longe de ser o principal. 

Por mais que eu estivesse esperando mais, eu gostei do livro. A personagem Morgana da uma guinada na história bem no final, o que deixa o leitor com vontade de continuar. Além do mais, eu gostei da escrita da autora, mesmo achando que ela podia ter tirado algumas coisinhas ali do meio. 

Talvez eu não indicasse para quem gosta mais de ação, ou que prefira uma visão mais "masculina" da lenda, com na obra de Bernard Cornwell. Mas acho que é um livro bastante interessante para conhecer novos pontos de vista e entender a história de uma maneira diferente. 


E você? Já leu o livro ou a série? Gostou da resenha? Não leu o livro, mas tem vontade de ler? Deixe ai o comentário com a sua opinião ;)

Beijocas e até mais!

2 comentários :

  1. Gostei do seu post, eu estou bem interessada nessa história, pois todo mundo fala muito bem dela, claro que já escutei criticas, mas foram poucas então estou bem interessada. Gostei do seu bllog. s2

    http://luxuosoestilo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também estava muito interessada e tinha lido/assistido muitas resenhas que elogiaram muito a série. A maioria das críticas negativas que eu li foram feitas por homens (por diversos fatores) ou pessoas que, assim como eu, estavam mais acostumados com uma lenda arturiana banhada a sangue e cabeças decepadas. Mas esse livro foi interessante, porque muda o foco e você consegue ter uma maior profundidade não apenas no modo como as mulheres pensavam, mas nas tradições e o dia a dia das pessoas, além das crenças e a luta entre religiões e dogmas ( e também é bem interessante para pensar sobre a 'bondade' das pessoas ou no que é certo ou errado).

      Obrigada :) Espero que goste do livro quando ler.

      Beijos e até!

      Excluir

Muito obrigada por lerem. Espero que tenham gostado. Então, que tal deixar um comentário com a sua opinião? Acha que ficou alguma coisa confusa? Gostou ou não gostou? É só comentar que eu adorarei ler :)

Se ainda não segue o blog, lembre-se que é bem rapidinho seguir. É só clicar em participar na caixinha de docinhos ali no canto. Siga também nas redes sociais. Beijocas e até mais!