Resenha - Uma Canção Para a Libélula (Parte I)

Uma Canção para a Libélula (Parte I) - Juliana Daglio
Editora: Editora Deuses
Páginas: 238





Era uma comum primavera numa fazenda qualquer, mas um encontro inusitado aconteceu: a Menina e a Libélula se viram pela primeira vez. Assombrada por um medo irracional da Morte, a Menina é marcada por esse encontro para o resto de sua vida. Compõe então uma canção em seu piano, homenageando a misteriosa libélula.
Os anos se passaram, Vanessa vivia em Londres e tinha a vida cercada por seu iminente sucesso como pianista, porém, algo aconteceu, mudando seu destino: Uma doença, uma viagem e um reencontro. Vanessa precisará encarar fantasmas que sequer lembrava um dia terem assombrado sua vida, tendo de relembrar a morte do irmão e reviver seu conflito com a mãe. E mais importante e mortal, conhecer a grande antagonista de sua vida, a quem chama de Vilã Cinzenta. De Londres a São Paulo, dos Palcos aos Lagos. “Uma canção para a Libélula” é a história de uma alma perdida e de sua busca por quebrar o casulo de sua existência, para só então compreender o sentido da própria vida. Este livro é um profundo mergulho em uma mente nebulosa, permeada por lagos obscuros e pela inusitada morte; não havendo sequer esperanças.


Depressão. Um tema que me interessa muito e que se torna cada vez mais preocupante em nossa sociedade. E é sobre isso que Uma Canção para a Libélula vem falar. 

Vanessa é uma jovem pianista. Uma garota quieta, um tanto quanto taciturna, que prefere ficar sozinha em um canto do que ter que receber pessoas ou se envolver verdadeiramente com o amor. Amor? Ela pouco conheceu isso na vida. O que aconteceu em seu passado fizeram com que ela crescesse dessa maneira. Todos os acontecimentos de sua infância, que são mistérios para nós no início do livro, sulcaram a personalidade triste de nossa protagonista que não consegue notar esses problemas em sua personalidade. 

Mudou-se para Londres quando era pequena e pensou que, a partir dali, sua vida melhoraria de vez. O que de fato aconteceu, mesmo tendo custado afastar da sua vida as memórias para não sofrer. Mas, em um fatídico dia, ela tem que voltar para São Paulo para cuidar de seu pai. As preocupações voltam e a pergunta que não se cala na cabeça de Vanessa "Como será que os dias irão passar com Valéria?". Valéria é mais o motivo de fazê-la mudar para Londres, do que sua mãe. 

De volta para sua terra natal que as coisas começam a desandar e nós, leitores, mergulhamos aos poucos nas lembranças, dores, e "loucura" dos envolvidos. 

A história é narrada em primeira pessoa, então sabemos tudo pela mente de Vanessa. Desse modo, não temos todos os fatos desde o início da história (nem no final), já que ela se recusa a lembrar do que aconteceu antes de se mudar para Londres (e essas lembranças só aparecem bem depois durante a narração). Além disso, os personagens são construídos a partir das impressões da garota, então não sabemos se de fato alguns são tão ruins ou bons como se é passado. 

Os ares da narração parecem um tanto quanto caóticos, como a mente confusa da garota, mas isso apenas ajuda a se envolver mais com os personagens e entender um pouco sobre como uma pessoa com depressão se sente.

Devo confessar que teve momento que eu senti raiva, não da protagonista, mas dos personagens que diziam que se importavam com ela, mas nem sempre agiam como tal. [Sério, se você sabe que a pessoa está doente, o mínimo que você faria era cuidar dela. Não deixar ela tomando conta de sua vida. PORQUE TODO MUNDO SABE QUE PESSOAS COM DEPRESSÃO PRECISAM DE AMOR E NÃO DE SOLIDÃO.] Senti falta de um aprofundamento das personagens secundários, que realmente ficaram como "secundários", mas, como eu disse, a protagonista se importa mais em ficar sozinha digerindo seus problemas do que fazendo uma análise detalhada das pessoas ao seu redor. 

Mas eu adorei tudo. Adorei o jeito que a depressão foi tratada (e a forma que mostra que as pessoas que a tem nem sempre acreditam nisso). Adorei o drama [Com certeza eu sou a rainha do drama hehe]. Adorei o fato de ter música envolvida. Adorei a escrita da Juliana. 

Só que agora estou com raiva da Juliana por ter terminado de uma maneira que me deixou louca para ler a segunda parte. Espero que saía logo!

[Obs: Encontrei alguns erros tipográficos no decorrer da leitura, mas nada que interfira no entendimento.]

Indico a todos aqueles que, assim como eu, gosta de drama, ou buscam algo mais intenso para ler. 


E você? Já conhece a obra? Já leu? O que achou? Concorda comigo? Não deixe de comentar :)
Beijocas e até mais.

0 comentários :

Postar um comentário

Muito obrigada por lerem. Espero que tenham gostado. Então, que tal deixar um comentário com a sua opinião? Acha que ficou alguma coisa confusa? Gostou ou não gostou? É só comentar que eu adorarei ler :)

Se ainda não segue o blog, lembre-se que é bem rapidinho seguir. É só clicar em participar na caixinha de docinhos ali no canto. Siga também nas redes sociais. Beijocas e até mais!