Resenha - Máscara

Fonte
E da leva de livros que li ano passado e ainda não resenhei, está Máscara - A vida não é um jogo, do autor Luiz Henrique Mazzaron. Esse livro estava na minha lista há bastante, foi um dos primeiros que conheci e realmente me interessei quando entrei de fato nessa vida de autora nacional. Então, quando tive a oportunidade finalmente de lê-lo, estava bastante ansiosa (também porque falavam muito bem do autor). E o que eu achei depois de ler? Confira a resenha!



Máscara, a vida não é um jogo - Luiz Henrique Mazzaron
Editora: Novo Século
Páginas: 368

No mundo de Domus, a morte é a moeda que alimenta o jogo. E a verdade pode custar a vida.
Liam é um garoto que viveu por muito tempo isolado devido aos constantes castigos do sádico tio, um carrasco ex-militar. Porém, inesperadamente, surge uma entidade maléfica, uma figura das trevas trajando uma máscara, e passa a o perseguir, levando-o a participar de um jogo num mundo surreal, chamado Domus.
Junto a um grupo, Liam parte para uma experiência alucinante, em que os pecados da humanidade serão colocados em xeque, como numa espécie de julgamento. Um combate onde o principal objetivo do adversário é mostrar o quão odiosa é a raça humana…
Mas ainda há muitos mistérios que rodeiam este intrincado jogo. Por qual motivo a criatura possui tamanha obsessão por ele? E vale a pena prosseguir, já que a morte é a única certeza?

Liam cresceu sendo cuidado por seu tio, um homem horrível que só maltratava o garoto. Mas, certo dia, graças a um inesperado ocorrido, ele consegue fugir e vai morar em um orfanato. Desde então, acontecimentos sinistros vão ocorrendo. O garoto não é como os outros, e não por ele ser uma pessoa realmente especial, mas porque uma força do mal está atrás dele e vai destruindo a todos que passarem por seu caminho. Eventualmente, esta criatura denominada Nero consegue capturá-lo e o leva direto para Domus, um mundo muito parecido com o que Liam estava acostumado, mas nada igual. É então que o livro (e o jogo) realmente começa. 

Primeiro ponto que devo comentar é sobre os cortes que o autor decidiu fazer, além da forma como escondeu tudo do leitor. O Luiz foi excelente em instigar a curiosidade, pausando cada seção em momentos cruciais, além de não revelar de uma vez o passado/intenções dos personagens (soltando-os aos poucos no decorrer da narração). Isso foi construindo o mistério e fazendo com que a leitura prendesse e não soltasse mais. 

A linguagem é simples e acessível, mas uma coisa que me incomodou foi a escrita do autor. Eu não senti tanta fluidez quanto esperava, além de achar que ainda precisa amadurecer (mas devo dizer que isso é um gosto pessoal meu). 

Fonte
Outra coisa que não me agradou tanto foi como ele resolveu desenvolver os personagens. É muita gente na história, mas eu não senti afinidade por nenhum, seja porque achei que algumas coisas na personalidade de uns fugia do que o autor queria tratar, seja porque o próprio autor demorou para desenvolver realmente os personagens dentro da trama (porque é bastante gente, e como foram muitos cortes, achei que ficou difícil tratar profundamente de cada um). 

A ambiência foi impecável e por isso o autor está de parabéns. Ele consegue trazer o leitor para dentro do livro e imaginar cada lugar nesse mundo louco, além também de trabalhar tudo com uma descrição fascinante.

A história não foi tão assustadora quanto eu esperava (e para mim pelo menos, que não gosta tanto assim de horror/terror, isso foi um ponto positivo). Mas não quer dizer que o leitor não irá ficar profundamente tocado com certas cenas, principalmente pensando na loucura de Nero e seu estranho e mórbido jogo. 

Agora uma coisa que eu tenho que colocar em letras garrafais: NÃO TERMINE OS LIVROS DESSE JEITO PORQUE MEU CORAÇÃO NÃO AGUENTA. Agora explicando: A história termina como se fosse um corte entre dois livros (como se essa fosse apenas um pedaço de algo maior e não um volume por si só). O que me fez ficar encarando a última página pensando "por que você faz isso comigo?". Ai as pessoas morrem e não sabem porque. 

Por mais que o livro tenha frustrado um pouco minhas expectativas, foi uma leitura proveitosa. O autor tem bastante potencial, mas acredito que sua escrita ainda tenha que ser trabalhada e amadurecida. Recomendo para aqueles que gostam de uma história mais voltada para o terror, com uma pitadinha (mentira, não só uma pitadinha) de sadismo, e que irá lhe fazer pensar sobre suas ações na vida e o que é certo e errado. 


Por hoje é só. Espero que tenham gostado da resenha. Já conheciam o livro? Já leram? Pretendem ler? Comentem ai embaixo!

Beijocas e até!

2 comentários :

  1. oii
    já conhecia o autor e a obra,mas não tive a oportunidade de ler ainda :) em breve lerei.
    http://ldsonhos.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Oi já li esse livro e amei, to louco pra ler a continuação. Eu também pensava que ele tinha mais terror, mas é bem gostoso de se ler.
    Arthur K.

    ResponderExcluir

Muito obrigada por lerem. Espero que tenham gostado. Então, que tal deixar um comentário com a sua opinião? Acha que ficou alguma coisa confusa? Gostou ou não gostou? É só comentar que eu adorarei ler :)

Se ainda não segue o blog, lembre-se que é bem rapidinho seguir. É só clicar em participar na caixinha de docinhos ali no canto. Siga também nas redes sociais. Beijocas e até mais!